Escudos no Covil Vermelho

É momento de seguir
A estrada feita pelo crepúsculo
Onde da terra brotam torres de menir
Como a coluna de um colosso

É chegado nosso tempo
Tempo de luta e desejo
Enquanto, além da luz,
Nos moveremos pelo covil do fogo

Ao limite do mundo seguiremos
Estaremos lá entre fogo e cinzas
Rodeados de magia e fúria
Encarando a ancestral morte vermelha

Realidades cairão
Mas nossa vontade não arrefecerá
Quando a fumaça cobrir nossos olhos
Nossa fé indicará o alvo.

Estaremos no limite de nossas forças
Lá entre fogo e cinzas
Rodeados de magia e fúria
Encarando a ancestral morte vermelha

A fumaça encherá nossos pulmões
Arcano e milenar fogo queimará nossa pele
Ficaremos deslocados e sufocados
Mas triunfaremos além de todo cansaço

Por isso digo: venha, meu amigo
Segure minha mão e sinta a cura
Afie sua espada, prepararei meu escudo
Grite sua conjuração que o protegerei dos danos

Porque quando a sombra de nosso oponente
Cobrir o brilho que vem do céu
Eu serei o Escudo que trará o Crepúsculo
E banhará de sol toda a Toril

Fogo nos cobrirá como o inferno
Explosões arcanas valsarão
Clamores serão gritados pelas cinzas
E nossa esperança e coragem fará uma ponte
Que nos guiará através de um mar de fúria e um continente de ódio
Para a vitória eterna

Vindo dos céus, a queimante chuva de lava
(Hálito podre do dragão)
E morreremos e viveremos nessa hora

Nossos corações baterão devagar
Ferido, o Velho Rosnado pensará no triunfo
Mas, vindos dos campos do outro mundo,
Antes de poder pensar
Como um Crepúsculo em Toril
Nos ergueremos, Escudos!
Banhando o inimigo com nossa vitória
E assim, finalmente, retornaremos para casa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tesouros Antigos da História Seldarine

Regras da Casa - Estilo de Trovadores da Espada

A Fala do Mestre 12 - Notícias a Sammaster