Sombra Vingativa

Dragão das Sombras Adulto Experiente Meio-Abissal Grande CE

22d12+88+12d8+48+170 (502 pv)
CA 37 (-1 tamanho, 26 natural) surpresa 35 toque 11

For 27 Des 14 Con 21 Int 24 Sab 20 Car 23(25*)
*apenas para conjuração

BBA +39 Agarrar +39 Fort +27 Refl +27 Vont +28 Iniciativa +6
Ataque: Mordida +47 2d6+8, 2 garras +42 1d8+4, 2 asas +42 1d6+4 e cauda +42 1d8+12
Sopro: 4 níveis CD26 Reflexos

Presença Aterradora CD 26 RM 25
Resistência 20 ácido, frio, fogo, eletricidade
Mesclar-se às Sombras, Criar Sombras

Talentos: Vontade de Ferro, Acelerar Habilidade Similar à Magia, Hover, Iniciativa Aprimorada, Recuperar Sopro (1d4-1), Reflexos Épicos, foco em arma (ataque de toque à distância), ataque poderoso

Habilidades Similares à Magia: (3) reflexos, dificultar detecção; (2) porta dimensional; (1) teleporte em sombras NC: 11º

Habilidades Similares à Magia: (3) escuridão, veneno, aura profana (+4CA e TRs, 1d6 Força de criaturas bondosas); (1) blasfêmia (12 DV: sem ação 1 rodada; 11 DV 2d6 For por 2d4 rodadas e atordoada 1 rodada, 7 DV: cumulativo mais paralisada e indefesa por 1d10 minutos, 2DV: morta) contágio, conspurcar (-4 turn undead, +2 resistência, +2 deflexão), destruição (morte ou 10d6 de dano), nuvem profana (5d8 e enjoado por 1d4 rodadas), evaporação 12 d6, profanar (-6 turn undead, +2 profano e +2 PV/DV para mortos-vivos) NC 12º

Magias de Feiticeiro (11º): 6/8/8/7/7/5
1: mísseis mágicos, raio do enfraquecimento, recuo acelerado, ataque certeiro, escudo arcano; 2: escamas cintilantes, patas de aranha, vigor do urso, força do touro, esplendor da águia, escuridão; 3: controlar sombras e escuridão, forma amorfa, velocidade, bola de fogo ; 4: sopro de dissipação (1d20+11) ,poderio abissal (+2 For, Des e Con; +2 RM), sopro atordoante (1 rodada); 5: polimorfia dracônica, teleporte

Depois da incursão do grupo Belarn-Tamassir, e a possível resolução de toda a campanha, estudos e relatos afirmam que a família Tamassir foi aos poucos caindo em desgraça. Os filhos das gerações seguintes, independente de serem humanos ou não, nasciam com um tipo de doença que reduzia sua vida em vinte anos e a cada geração esse número ia aumentando. Mesmo os meio-elfos entre os parentes Tamassir não conseguiram se salvar de tal maldição – pesquisas sugerem que a doença tinha natureza arcana e foi chamada de “Peste Tamassir”. Quando da queda de Netheril, a família já havia sido praticamente esquecida por boa parte dos nobres, sendo lembrada somente por elfos, ou em documentos de estudos clericais e por alguns magos.

A família Belarn, por sua vez, continuou a existir através dos filhos de Elmedech, o irmão de Abrahan. Ele manteve o brasão dado pelos Tamassir, aproveitando-se da honraria para participar de torneios de cavalaria e melhor se relacionar com nobres da época, mesmo que não fosse considerado como igual.

Relatos históricos sugerem que os netos desse rapaz teriam se encontrado com uma meio-elfo e um paladino – os quais carregavam cinco crianças, duas meio-elfos, duas humanas e uma que se assemelhava aos humanos, mas que é descrita como “diferente” – e que esses dois teriam treinado esses jovens e os incumbido de uma missão: proteger as crianças que eles traziam. Desde então, relatos sobre os Tamassir desaparecem completamente e somente a família Belarn tem seu nome em linhas históricas, muitas vezes ligadas a exércitos e milícias menores.

O Caminhante em Mulhorand.